Voltar

Tudo o que você precisa saber sobre a corrente de transmissão da moto

Descubra cuidados básicos para manter o bom funcionamento do componente

A corrente de transmissão da moto é essencial em seu funcionamento. Aliás, o componente é responsável por transmitir a energia do motor para a roda de tração. Além disso, promove conexão entre a caixa de câmbio e cubo da roda traseira. Desse modo, é preciso dedicar muita atenção para a peça. Para te ajudar a entender um pouco mais sobre o assunto, decidimos explicar como as correntes funcionam e revelar informações essenciais sobre seus cuidados.

A corrente de transmissão

Como você sabe, existem três tipos de transmissão final nas motos. Dessa forma, a ligação pode ser feita através de corrente, correia ou cardã.

No entanto, o componente mais comum é a corrente, que é composta por duas engrenagens dentadas de metal e de corrente, que faz a união entre os lados.

Geralmente, as engrenagens são produzidas com diversos estilos de metal e se diferenciam por conta da quantidade de dentes e em seu diâmetro.

A peça integra também o chamado kit de relação, que conta ainda com pinhão e corrente.

Mas afinal, por qual motivo a corrente de transmissão é o tipo mais utilizado nas motos? De acordo com especialistas em motocicletas, o item é mais utilizado por conta de seus diferenciais, como por exemplo:

  • Baixo custo de aquisição e de manutenção;
  • Facilidade na manutenção e reposição do conjunto;
  • Baixa perda de potência.

Além disso, hoje existem produtos que promovem alta durabilidade e diminuição dos temidos ruídos, deixando as viagens mais seguras e silenciosas.

Riscos e perigos

Inegavelmente, as correntes são itens que ficam muito expostos. Por isso, estão sempre sujeitas a sofrerem com detritos externos como areia, terra e outras sujeiras que podem grudar e causar corrosão. Do mesmo modo, os resíduos podem remover a lubrificação do componente e causar problemas em seu funcionamento.

Outro problema que pode acontecer é em relação a chuva. Ao receber água em excesso, a corrente de transmissão pode ter a proteção removida e sofrer quebras e travamentos. E, sem dúvidas, isso é muito grave, pois pode causar danos ao conjunto de transmissão secundária e até mesmo acidentes por conta das falhas ocasionadas no sistema da motocicleta.

corrente de transmissão

Cuidados básicos

Conforme citamos acima, a corrente de transmissão é essencial para o bom funcionamento da moto. Mas para que tudo tenha um bom desempenho é preciso tomar alguns cuidados. Quer saber quais são eles? Então confira a seguir!

Lubrificação

De fato, a lubrificação é extremamente importante. Afinal, como já foi dito, a corrente enfrenta muita exposição e pode perder essa característica. Portanto, o indicado é analisar a lubrificação a cada mil quilômetros rodados.

Mas para manter a peça lubrificada, é preciso seguir algumas recomendações. Desse modo, uma delas é lavar o item de maneira adequada.

Ou seja, a dica é colocar a moto em um cavalete para que a roda traseira esteja totalmente suspensa, ligar a motocicleta, colocar a primeira marcha e lavar. Depois que isso for feito, é preciso aplicar um produto antiferrugem, enxaguar, desligar a moto e deixar escorrendo por cerca de cinco minutos.

Do mesmo modo, o recomendado é adicionar o óleo específico, cerca de duas ou três tampas, com o pneu girando. Ao colocar o produto, é interessante ir soltando de maneira lenta até que a tampa esvazie. Assim, é possível desligar o motor e deixar a moto no cavalete por cerca de 3 a 5 horas para escorrer o restante do produto e promover uma lubrificação em toda a extensão da corrente de transmissão.

Vale lembrar que para saber qual produto deve ser utilizado, a dica é conferir as informações no manual do veículo.

Folga

Outro grande cuidado que deve ser tomado é em relação a folga da corrente. Toda moto tem sua folga determinada pelo fabricante e deve estar devidamente controlada. Esta observação ajuda a manter a conservação do conjunto de transmissão e precisa ser realizada com frequência. Mas de acordo com as orientações gerais, a análise deve ser feita a cada 250 e 350 km, distância que pode variar de acordo com o tipo de motocicleta.

Análise geral

Por fim, entre os principais cuidados, precisamos destacar uma análise mais detalhada do componente. Por isso, algumas observações podem ser feitas visualmente para detectar possíveis problemas, Desse modo, é preciso verificar se a corrente está seca e opaca. Caso esteja, é preciso tomar atitudes, pois o indicado é que a peça esteja sempre brilhante e com aspecto úmido.

Além disso, é essencial assegurar que a corrente esteja conseguindo se movimentar com facilidade. Ou seja, ela precisa estar com movimentação livre tanto para cima quanto para baixo. Da mesma forma, os conjuntos de elos laterais precisam se mover e girar sem problemas em seus eixos.

Correntes DID

Sem dúvidas, essas são apenas algumas dicas para que a corrente de transmissão prolongue sua vida útil e ofereça um bom desempenho.

As opções da DID são as melhores do mercado, pois atuam em alta performance em todos os tipos de solo, promovendo mais segurança e potência nas maiores marcas de motocicletas.

Acesse agora mesmo o nosso site e encontre as melhores soluções em correntes e kits para sua moto!